04.png
diabetes-glicosimetro-crop-u7185.jpg

Diabetes

A principal característica do diabetes mellitus é o desenvolvimento da hiperglicemia ou aumento dos níveis de glicose no sangue. Isso é decorrente de uma menor produção do hormônio insulina pelo pâncreas e/ou de uma falha na sua ação não permitindo que a glicose ingerida nas refeições seja utilizada pelo corpo. O excesso de glicose na circulação é tóxico e resulta em lesões nos olhos, rins, cérebro, coração, coronárias e fígado.

Veja alguns números do diabetes no mundo e no Brasil:

• 1 em 11 adultos tem diabetes (415 milhões no mundo e 14,3 milhões no Brasil)

• Metade das pessoas que tem diabetes não sabe que tem a doença

• É a principal causa de cegueira e doença renal crônica avançada

• É a principal causa de doença cardiovascular e  amputação sem trauma

• Aumenta o risco de câncer e associa-se a depressão.

Quantos tipos de diabetes existem?

Os principais tipos são o diabetes tipo 1 e o tipo 2. No  tipo 1 ocorre um ataque do sistema de defesa do organismo contra as áreas do pâncreas que produzem insulina. Apenas um em cada dez diabéticos no Brasil tem o tipo 1. O aumento da glicose ocorre à medida que a pessoa afetada produz menos insulina. No tipo 2 existe uma resistência ao bom funcionamento da insulina no corpo, o que chamamos de resistência a ação da insulina. Nove em cada 10 pessoas com diabetes tem o diabetes tipo 2. Pessoas com estilo de vida inadequado, onde o sedentarismo e uma dieta não saudável causam o excesso de peso apresentam um risco maior para o seu desenvolvimento. Pessoas com importante predisposição familiar também tem um risco significativamente maior. Pessoas com hemocromatose, fibrose cística, síndrome de Turner e Down, doenças do pâncreas associam-se ao desenvolvimento de diabetes.

O que eu posso sentir?

Quando os níveis de glicose aumentam, pode-se se perceber aumento do volume urinário e sede em excesso. Os pacientes passam a se acordar mais a noite para urinar e a dormir com um copo ou jarro da água na sua cabeceira. A medida que vai subindo a glicose esses sintomas podem ficar cada vez mais intensos. Podem ser acompanhados de fome em excesso, visão borrada ou perda de foco visual, fraqueza, emagrecimento. Quando foge ao controle, pode ocorrer náuseas, vômitos  dor na barriga,  desorientação e diminuição dos níveis de consciência e até coma.

Com se trata?

O diabetes tipo 1 é tratado através da administração de insulina várias vezes por dia. Podemos usar hoje em dia seringas, mas se usa mais canetas de aplicação (mais cômodas) e a melhor tecnologia, a bomba de infusão de insulina (ler abaixo sobre a bomba de infusão). No diabetes tipo 2 existem várias medicações como opção de tratamento.  Como o paciente com diabetes mellitus tipo 2 normalmente é obeso, temos procurado utilizar, a medida do possível, medicações que não causam ganho de peso e, melhor ainda, que podem causar perda de peso. A orientação de uma dieta adequada e atividade física são essenciais e facilitam de maneira muito significativa o melhor controle da doença. Além disso, nós Endocrinologistas fazemos toda a prevenção para o desenvolvimento das complicações da doença.

Como prevenimos que o diabético tenha problemas relacionados à doença?

Em primeiro lugar costumamos descartar possíveis causas da doença. Além de diversas doenças genéticas causarem a doença, identificamos mau hábitos de vida e uso de medicações que podem estar por trás do aumento da glicemia. Solicitamos uma série de exames específicos para avaliar se há problemas relacionados ao diabetes. Somos especializados a solicitar os exames mais importantes para avaliar o seu coração, a sua circulação, os seus rins e outras partes do corpo que podem ser afetadas pelo diabetes. De acordo com a presença destes problemas, dos hábitos de vida, trabalho ou estudo e de aspectos sociais que precisam ser identificados e que podem facilitar ou dificultar o manejo da doença, escolhemos a melhor forma de tratamento para cada paciente. Enfim, o especialista em diabetes, Endocrinologista e/ou Diabetologista fornece o melhor tratamento e protege o paciente contra potenciais problemas que o diabetes pode causar.

Existem mais de 10 tipos diferentes de medicações para o diabetes. Somente em 2016 e 2017 três novas medicações serão lançadas no mercado brasileiro” por “Estamos vivendo uma verdadeira revolução no tratamento, podendo atingir um excelente controle glicêmico e metabólica em cada vez mais pacientes, mesmo em casos de altíssima complexidade.

Insulinas

Cada vez mais modernas, são também cada vez mais fáceis e confortáveis para aplicação. Praticamente não se usa mais seringas para a sua aplicação. Usamos hoje em dia cada vez mais as canetas de aplicação, bem mais confortáveis do que as antigas seringas. Os pacientes não reclamam mais das “picadas” quando usam as canetas. As insulinas mais modernas também tem a vantagem de reduzirem o risco de queda de glicose, pois causam menor variabilidade dos níveis de glicose no sangue.

Bomba de infusão de insulina e o pâncreas artificial

São equipamentos portáteis do tamanho de uma pequena carteira que liberam insulina de forma contínua 24 horas por dia. Liberam insulina através de um pequeno tubo e uma cânula colocados sob a sua pele. A grande vantagem da bomba de infusão de insulina sobre as outras formas de administração de insulina (seringas e canetas de insulina) é que a quantidade de insulina liberada pode ser adaptada para realizar um tratamento bem personalizado, evitando assim quedas de glicose (hipoglicemia) e se realizando um controle da glicemia mais eficaz. As bombas modernas alertam sobre a presença de hipoglicemia antes mesmo dos sintomas aparecerem. Além do mais, tendo em vista que a cânula que administra a insulina está permanentemente instalada (é normalmente substituída pelo próprio paciente a cada 3 dias), não é necessário se aplicar as injeções (seringas ou canetas) de insulina. Hoje em dia é considerado nos Estados Unidos o tratamento de escolha para o diabetes mellitus tipo 1.

É possível ajustar a sua bomba de infusão de insulina para administrar insulina durante 24 horas. Também ajustamos a bomba para controlar a glicose no sangue após as refeições e enquanto se dorme, para evitar as quedas de glicose durante o sono.

Outra vantagem da bomba de infusão é que é possível se configurar as doses de insulina e realizar ajustes baseado na ingestão de alimentos e programa de exercícios.